Re: Re: Relatos entrevistas 2009

#34823
familiasouza
Participante

Olá pessoal, fizemos nossa entrevista em Salvador dia 06 às 15:30, o entrevistador foi sr. Leblanc.
não havia secretaria nem recepcionista, ele mesmo saiu da entrevista anterior e nos pediu que aguardássemos até que terminasse.
     Nos convidou a entrar dez minutos antes, muito simpático portando um traje nada social (camisa curta com desenhos geométricos e uma calça e sapatos bege). Foi logo nos pedindo os passaportes, certidões, contrato de autonomia financeira, enfim, todo documento que pedia, examinava bem e digitava alguma coisa, nesse primeiro momento embora eu estivesse extremamente nervosa e tremendo igual vara verde, eu consegui entender e entrega-lo tudo que era solicitado.
    Ele mostrou ser uma pessoa centrada porem muito simpático e atencioso, dava importância a tudo que lhe mostrávamos, inclusive fotos (sobre tudo as que tirei durante o estagio de intrumentação cirúrgica, nesse momento ele ficou extasiado, disse que as fotos eram maravilhosas e que esse curso em especial e nosso francês fez nossa pontuação ir as alturas). Nesse momento ainda não tínhamos ouvido a tão espera frase porem já estávamos mais relaxados e confiantes que tudo daria certo.                      
   A entrevista que em nenhum momento foi bastante formal agora tomava um rumo de quase camaradagem pois lhe contamos um pouco sobre nosso passado e mesmo sem entrar em detalhes das dificuldades que enfrentamos na vida (não pretendia em nenhum momento falar em coisas negativas relativas ao nosso país, porem em algum momento ele parecia muito interessado em saber como era nosso cotidiano, como somos pessoas simples, não tivemos escolha a não ser falar) O Carlos lhe contou como é seu trabalho de treinador de cães autônomo e das nossas espectativas quanto ao futuro. Ele imprimiu uma página retirada da internet e fez recomendações escrita de próprio punho para proprietária de um grande canil que é sua amiga para que possa ajudar o Carlos numa recolocação no mercado de trabalho. Para mim deu dicas do que fazer na minha profissão mesmo antes de fazer a validação do diploma. Disse-nos que o mais importante ao chegar no Canadá é ganhar dinheiro, todo o resto fica bem (incluindo os filhos) quando os pais ganham o dinheiro!
   Finalmente a impressora começa a funcionar e a imprimir os CSQs para toda a família (não sabia que as crianças também recebiam) ele nos saudou e continuamos a conversar de pé, eles nos levou até a porta, e em seguida até o elevador (a haja conversa) não sei de onde saiu tanto francês! que diga-se de passagem, ele elogiou várias vezes.
   Sei que está cansativo só de ler, imagine o que senti durante a entrevista, que durou duas horas e dez minutos.
   A maioria de nós não nos conhecemos porem essa comunidade me serviu e continuara me servindo de apoio para próxima etapa.

Perfil: Cristina 36 anos técnica em enfermagem
         Carlos 41 anos autônomo
         Três filhas: 10,14 e 17 anos
         Envio do dossiê: 11 de junho de 2008

 
Obrigada
Cristina Souza