Re: Re: Entrevistas – 2º semestre de 2011

#48302
juliarib
Participante

Segue o relato da entrevista :)

Gostaria de agradecer a todos que também compartilharam relatos aqui e me ajudaram nessa preparação. Espero estar fazendo o mesmo!

Júlia

=====================

Fizemos a entrevista hoje (23/11), em Salvador e o entrevistador foi M. Daniel Leblanc. Super tranquilo!

Quando entramos na sala ele me pediu pra sentar mais perto dele, pois sou a aplicante principal, e que Matheus sentasse do meu lado. Eu elogiei a vista da sala, que é linda, e ele adorou o comentário. Começou pedindo passaportes, certidões de nascimento e perguntando pra cada um nossas datas de nascimento. Nessa hora eu me atrapalhei com os números, Matheus me ajudou e todos demos risada. A partir daí meu nervosismo não voltou mais. rsrsrs. Ele perguntou para qual cidade iríamos e quando eu respondi Montréal ele perguntou por que. Eu disse os motivos, que era uma cidade grande e com uma vida artística muito rica e que isso era muito bom para Matheus, que é músico; disse também que temos o perfil de morar em cidades grandes. Ele gostou da resposta.

Depois ele pediu a comprovação de união estável e eu disse que tínhamos casado há duas semanas. Ele deu parabéns e pediu a certidão. Depois perguntou se eu tinha levado uma xerox dessa certidão nova e eu tive que dizer que não, pois não sabia que precisava. Aí ele disse que não tinha problema e que eu mandasse ela scaneada por e-mail para Aline, a mesma moça que nos convocou para entrevista por e-mail também. Em seguida mostramos os diplomas, ele anotou tudo…aí Matheus explicou que no dossiê ele só tinha nível médio, mas que está se formando em Licenciatura em Música daqui a 3 semanas e ele adorou. Anotou tudo e pediu pra Matheus preencher o formulário impresso que tinha na mão dele (o mesmo que enviamos com o dossiê, onde ele ia vendo as informações, conferindo e anotando coisas).

Depois perguntou de nossos planos de trabalho. Eu mostrei as vagas que pesquisei para o plano A (relações públicas/jornalista) e para o plano B eu falei de trabalhar como estagiária e voluntária em empresas de comunicação, mostrei essas vagas também e ele gostou. Depois falei de uma vaga em especial que encontrei essa semana que é para trabalhar na área de comunicação de uma empresa britânica em Montréal e que EXIGE português fluente, além do inglês e francês. Ele ficou super entusiasmado. Disse que era pra eu me inscrever pra vaga assim que saísse de lá. Eu expliquei que já tinha feito isso e só acrescentaria a obtenção do CSQ mais tarde. Ele adorou!

Matheus falou da experiência como assistente de estúdio de gravação e como músico e depois falou que morou em Toronto e teve experiências como músico lá. Ele se interessou e perguntou quanto tempo ele morou no Canadá. Eu aproveitei pra falar que conhecemos Montréal e ele pediu provas da nossa visita. Mostrei a carta da amiga que nos hospedou lá e contei que perdemos o laptop com as fotos no aeroporto de SP. Ele deu risada e perguntou se perdemos ou se foi roubado, e já emendou com uma estória de um amigo dele que se virou para comprar alguma coisa no Québec e aconteceu a mesma coisa: levaram o computador do carrinho dele. Disse que isso acontece em qualquer lugar, não só no Brasil. Matheus também contou que está estagiando há um ano numa escola pública, um estágio obrigatório para a formatura dele, e que ensina uma turma de adolescentes. Ele perguntou se ser professor era uma opção e Matheus disse que sim, e que sabia que precisava tirar a permissão para ensinar no Québec. Ele gostou muito e deu muitas dicas para essa carreira; disse que eles precisam muito de professores lá.

No final, enquanto ele digitava um monte de coisas, ele pediu pra Matheus falar dos motivos de irmos para o Québec. Depois falou alguma sobre as comprovações de idiomas, sobre o IELTS para o inglês e os certificados da Aliança Francesa e da professora particular. Depois pediu que eu continuasse a resposta de Matheus sobre o Québec: falei sobre a sociedade, os valores e retorno que temos dos impostos, além da segurança e da qualidade de vida para ter e criar filhos. Ele sorriu :)

Nessa hora a impressora estava a todo vapor. Ele imprimiu algumas coisas para nos ajudar a procurar emprego, inclusive uns site para Matheus pesquisar mais sobre a regulamentação da profissão de professor. Disse que tem duas irmãs e um cunhado professores e repetiu que eles precisamo muito. Eu reparei que ele imprimiu nossa pontuação final, para controle deles, e foi de 64 pontos (tínhamos 57 antes, pelas contas deles). E aí o CSQ saiu! Ele pediu pra conferirmos os dados e assinou cada cópia; explicou qual delas vamos levar com a gente para o Quebec e qual devemos mandar para SP.

No final ele elogiou nossos planos de novo e nos despedimos.

Um alívio enorme, viu? E ele não perguntou nada em inglês…provavelmente porque levamos IELTS dos dois com nota acima de 7 :)

*timeline*
17/12/2010 - envio DCSQ
21/11/2011 - entrevista e CSQ
21/12/2011 - envio federal - devolvido por clonagem no cartão
04/05/2012 - reenvio federal (data de abertura)
17/12/2013 - pedido de exames médicos
27/12/2013 - exames realizados
17/01/2014 - E-cas com exames recebidos