Re: Re: Enfermagem

#20838
carol.
Participante

Olá Self47,
Não sou a Gabriela mas já vou dando o meu palpite pois estou  aqui em Montréal passando por isso agora.
Se vc quer vir pra Québec o francês sempre será muito exigido, venha com o máximo que puder, mas as provas da ordem podem ser feitas em inglÊs também.
A primeira coisa a fazer é traduzir os seus documentos com um tradutor daqui, depois vc vai pedir para a ordem os formulários (se vc já adiantar essa etapa e conseguir deixar tudo pronto do Brasil vai ser ótimo porque o COREN, a faculdade e o seu empregador têm que preencher e enviar diretamente para a OIIQ, peça para eles preencherem e mandarem só depois que vc estiver aqui e der entrada com o processo, ficará bem mais fácil).
Depois que vc der entrada com o processo, sai a resposta em 9 semanas, se vc tiver carga horária suficiente em psiquiatria e geriatria fará um estágio e 5 meses de CEGEP; se não tiver carga horária suficiente dos dois fará um estágio e 9 meses de CEGEP.
Depois disso, seu diploma está reconhecido e vc vai fazer a mesma prova que todos aqui fazem para ser membro da ordem (prova prática e teórica, vc pode encomendar a apostila preparatória desde o Brasil tb). Depois terá que fazer uma prova de língua francesa ou inglesa. Se você não passar na prova da ordem, só poderá repetí-la daí 1 ano, a prova de língua francesa pode ser repetida em seguida.
Depois disso vc paga mais taxas e já é membro da ordem, ahhh! essas taxam mudaram bastante, estão bem mais caras agora, não é mais 127 dólares.rsrs
Agora, o curso aqui não é superior, vc faz 3 anos de CEGEP e depois vai pra faculdade fazer 3 anos para se especializar e virar o que eles chamam aqui de super-enfermeiro. Isso aqui é bem comum, tem isso com farmácia e etc… não é nenhum demérito, o salário é um dos melhores, com isso não se preocupe.rsrsrs Até porque aqui não existe tantas diferenças sociais como aí no Brasil, todo profissional aqui tem condições de viver muito bem, no caso, a enfermagem é especial pela falta de mão de obra que eles vivem, é imensa…
Abraços
Carol